Me deixa

Estou num mau humor dos infernos. Os motivos são variados.

Depois de um sábado maravilhoso, a criatura, que tenho um conturbado relacionamento, some.

A minha família me elegeu como coitadinha. Aquela que não dá sorte com homem e que tem uma vida infeliz neste setor. Rolou uma longa conversa (sem a minha presença) de que é melhor estar com a criatura do que estar sozinha.

Nessa onda, meu pai quis arrumar um namorado pra mim. Quando viu que não teve sucesso, perguntou do meu ex. Na boa, quando alguém vem falar do meu ex falo que ele tem outra. Cansei de ser fina. Ai que saco!!!!

A minha amiga veio me dar lição de moral, quando estava sem saco nenhum pra ouvir. Por isso que tenho evitado de falar sobre meus problemas com ela. Depois me manda uma mensagem dizendo que está disposta ouvir. Na boa, estou sem paciência de apontarem meus problemas. Eu os enxergo bem, só que às vezes coloco uma venda pra vê se dói menos.

Detestei ouvir você não é a única e se prepare pra ver criatura com outras mulheres. Isso realmente é viável de acontecer, mas só por ontem e hoje já estou chateada demais pra ouvir verdades.

Deixa eu me enganar que as coisas desta vez vão ser ou vai ou racha.

Meu tio resolveu dar uma festa de aniversário na minha casa. Assim na cara dura mesmo, nem fui consultada.

Desde que voltei da Europa minha vida perdeu um pouco do sentido. Acho um saco ter que sair para trabalhar. Tem um bichinho me avisando que estou ansiando por mudanças profissionais.

Quero emagrecer, mas não consigo resistir às tentações.

Vou me mudar de casa, mas estou com medo de não me adaptar as mudanças.

Preciso ir pra  minha cama e voltar ao meu equilíbrio.

E que horas este dia vai acabar?

Quando as tragédias revelam coisas profundas

Como todas as pessoas que acompanham noticiários, estou lendo a atualização a cada momento do resgate dos mineiros chilenos. Os veículos que estão fazendo a cobertura fizeram o perfil dos 33 trabalhadores que ficaram presos a 700 metros de profundidade na mina San José, no norte do Chile.

Já li várias análises, desde de como eles estão lidando com todo este estresse de ficar 69 dias presos até de como sair do anonimato e virar uma celebridade por conta da tragédia. Fora a família que também está tendo seus dias de aparecer na telinha.

Concordo que muito nem estão preocupados com isso. O importante é sair sã e salvo e continuar com sua vida.

Mas confesso que o mais me impressionou foi a quantidade de pedidos de casamento feitos ainda enquanto estavam soterrados. Homens que moram com suas companheiras há anos e que nunca oficializaram a relação. Garanto que teve algumas que pensaram que tem certos males que vieram para o bem.

Imagina, querida amiga, você está casada com aquele traste há anos, doida pra casar e a criatura sempre te enrola. Ele precisa ficar numa situação de quase morte pra se dar conta que você é a mulher da vida dele. Ah, esses homens.

O caso mais curioso é do mineiro Yonni Barrios (50 anos), casado com Marta Salinas há 28 anos e amante de Susana Valenzuela. A esposa descobriu a existência da outra no acampamento de Copiapó. Marta declarou ao jornal argentino Clarín que considera um milagre ele ter se salvo e está contente, porém se recusa assistir o resgate porque o marido (ou seria ex-marido) também convidou a amante para acompanhar sua volta a superfície. Yonni, por sua vez, está com medo do que vai enfrentar aqui fora.