Apaixonada por mim mesma

Realizei mais uma grande meta da minha vida. Fui ao Rock in Rio 2011. E pude ouvir Stevie Wonder, um dos meus cantores prediletos, ao lado da pessoa que deixa borboletas flutuando na minha barriga.

Mas na hora que tocou a música my cherrie amour, apesar do meu grande amor por ele. Só tinha o palco e eu. Apesar de todo romantismo da situação, a  pessoa por quem estava mais enamorada naquele momento era eu mesma.

Toda a força de sustentação do meu corpo foi embora, sentei naquele gramado sintético e curti aquele momento sublime.

Recebi alta da terapia ontem

Ontem foi o dia mais estranho da minha vida, recebi alta da terapia. Mas não contei para nenhum amigo ou para minha família. Estou escondendo das pessoas, por um motivo simples.

Atingi um nível de normalidade, aceitável pela sociedade. Que horror!

Não quero ser normal, até porque me acho a mais doida das pessoas ao meu redor.

Tem todo um charme de ser doidinha. Doidos podem ser descolados, interessantes e livres pois tem a justificativa da loucura.

O normal é certinho. Quero ser diferente.

Fora a cara de choque das pessoas ao saberem desta notícia. Minha família sempre fala que não sou muito certa. Minha melhor amiga me chama de pé na porta.

Claro que após 4 anos de terapia, mudei e aprendi assumir minhas atitudes. As boas e as ruins. E tendo total consciência de quando estou agindo de acordo com que as pessoas consideram normais.

Mas quero continuar tomando banho de chuva, falando sozinha, sendo espontânea, às vezes carente e quebrando portas de carro por aí.

E o divórcio, heim

Meu EX marido me prometeu assinar o divórcio mês que vem. Não aguento mais ser desquitada. Quero mudar o estado civil para dar uma movimentada na vida.

Coisas que só acontecem comigo, semana passada eu, louca, andando pelo Centro do RJ com uma régua de 50 cm. Eis que de repente, encontro a atual mulher do meu ex-marido. Qual a próxima cena? Juro que imaginei o ato de dar uma reguada. Mas isso foi só na imaginação mesmo, nem tenho motivos para agredir ninguém, só vislumbrei porque sempre vejo a vida como um roteiro de um filme. E seria bem engraçado.

Manchete do jornal sensacionalista no dia seguinte

Mulher passa a régua na rival no centro do RJ

Tem gente que chora, eu apenas vomito…

Chorar é uma forma de expressar tristeza. Como cismo ser diferente, vomito. E não tenho nenhuma tendência bulimia, não provoco, simplesmente nada pára no meu estômago.

Imagina contar os meus sintomas para qualquer pessoa. Coisa de gente louca. Agora nos enterros, além de ter ataque de riso nervoso, vou levar uma sacola para despejar o líquido interno.

Chorar é para fracos

Quando os astros dão uma forcinha

Tudo que eu precisava ouvir depois de um fds daqueles. Obrigada Universo.

Lago em cima, vento embaixo: felicidade
Você chegou a um momento excepcional para a sua felicidade, Luciana. O campo das possibilidades infinitas se abriu para você e, assim sendo, muitas coisas são possíveis, principalmente aqueles desejos há muito acalentados. Este é o momento em que os sonhos podem virar realidade. Cuide deste momento como se estivesse com uma pedra preciosa em mãos, ou seja, saiba dar valor! Saiba que conquistar o que se deseja termina acarretando também em enormes responsabilidades e, mais importante do que conquistar, é cuidar. Procure também compreender que todos nós possuímos uma parte nossa que rejeita a felicidade. Somos tão viciados em nossos próprios sofrimentos, que muitas vezes não sabemos reconhecer quando uma boa oportunidade se escancara diante de nossos olhos. Acima de tudo, procure gozar do momento feliz com o máximo de modéstia possível. Se vangloriar demais pode levar os outros a quererem atirar pedras em você, Luciana, afinal de contas poucas coisas são mais irritantes do que a felicidade alheia.

O amor que a vida traz*

Marta Medeiros

Você gostaria de ter um amor que fosse estável, divertido e fácil. O objeto desse amor nem precisaria ser muito bonito, nem rico. Uma pessoa bacana, que te adorasse e fosse parceira já estaria mais do que bom. Você quer um amor assim. É pedir muito? Ora, você está sendo até modesto.

O problema é que todos imaginam um amor a seu modo, um amor cheio de pré-requisitos. Ao analisar o currículo do candidato, alguns itens de fábrica não podem faltar. O seu amor tem que gostar um pouco de cinema, nem que seja pra assistir em casa, no DVD. E seria bom que gostasse dos seus amigos.

E precisa ter um objetivo na vida. Bom humor, sim, bom humor não pode faltar. Não é querer demais, é? Ninguém está pedindo um piloto de Fórmula 1 ou uma capa da Playboy. Basta um amor desses fabricados em série, não pode ser tão impossível.

Aí a vida bate à sua porta e entrega um amor que não tem nada a ver com o que você queria. Será que se enganou de endereço? Não. Está tudo certinho, confira o protocolo. Esse é o amor que lhe cabe. É seu. Se não gostar, pode colocar no lixo, pode passar adiante, faça o que quiser. A entrega está feita, assine aqui, adeus.

E agora está você aí, com esse amor que não estava nos planos. Um amor que não é a sua cara, que não lembra em nada um amor idealizado. E, por isso mesmo, um amor que deixa você em pânico e em êxtase.

Tudo diferente do que você um dia supôs, um amor que te perturba e te exige, que não aceita as regras que você estipulou. Um amor que a cada manhã faz você pensar que de hoje não passa, mas a noite chega e esse amor perdura, um amor movido por discussões que você não esperava enfrentar e por beijos para os quais nem imaginava ter tanto fôlego.

Um amor errado como aqueles que dizem que devemos aproveitar enquanto não encontramos o certo, e o certo era aquele outro que você havia solicitado, mas a vida, que é péssima em atender pedidos, lhe trouxe esse e conforme-se, saboreie esse presente, esse suspense, esse nonsense, esse amor que você desconfia que não lhe pertence.

Aquele amor em formato de coração, amor com licor, amor de caixinha, não apareceu. Olhe pra você vivendo esse amor a granel, esse amor escarcéu, não era bem isso que você desejava, mas é o amor que lhe foi destinado, o amor que começou por telefone, o amor que começou pela internet, que esbarrou em você no elevador, o amor que era pra não vingar e virou compromisso, olha você tendo que explicar o que não se explica, você nunca havia se dado conta de que amor não se pede, não se especifica, não se experimenta em loja – ah, este me serviu direitinho!

Aquele amor corretinho por você tão sonhado vai parar na porta de alguém que despreza amores corretos, repare em como a vida é astuciosa. Assim são as entregas de amor, todas como se viessem num caminhão da sorte, uma promoção de domingo, um prêmio buzinando lá fora, mesmo você nunca tendo apostado. Aquele amor que você encomendou não veio, parabéns! Agradeça e aproveite o que lhe foi entregue por sorteio.

*Roubado do blog Tempo bom de ser feliz

De hoje em diante só quero boas notícias…

“O amor platônico passou a ser entendido como um amor à distância, que não se aproxima, não toca, não envolve. Reveste-se de fantasias e de idealização. O objeto do amor é o ser perfeito, detentor de todas as boas qualidades e sem máculas.”

Humpf, se tem algo que não sinto é este amor. Consigo enxergar todos os defeitos, tudo. Mas mesmo assim, amo. As diferenças mesmo visíveis, me fazem pensar num plano b, para contorná-las.

Estou triste, não tenho vontade de sair da minha cama. Se não tivesse amigos ou família, não poria os pés na rua. Se meu trabalho não me chamasse, só ficaria em casa encarando o vazio. Perdi 2 kg só no fim de semana. Eu só saí sábado porque era aniversário de uma das minhas melhores amigas, e ela não merecia q eu faltasse a sua festa. Domingo vivi minha tristeza.

Qualquer pessoa falaria para eu seguir frente, virar página, mas vou deixar claro que tentei por 2 anos fazer isso e não consegui. Não é falta de esforço, simplesmente não acontece. Desta vez, resolvi nada fazer. Não quero ficar correndo em círculos, quando não existe nada a fazer é melhor sentar e esperar. Mesmo que demore.

Se eu soubesse o que fazer para mudar isso, eu faria. Mas não me deram esta visão